Como estar preparado para fazer um bom relato de futebol

[ad#admin]

O relato radiofónico de um jogo de futebol é uma arte tão antiga como a existência do próprio rádio que o transmite. Quem gosta de realizar apostas desportivas ou é fã de futebol sabe que acompanhar um jogo pela rádio constitui, apesar de menos pormenorizado por faltarem os elementos visuais, um autêntico momento de prazer e emoção. Naturalmente que a qualidade de um relato deste tipo está inequivocamente associada à qualidade do relatador que a efetua. Por este motivo estar preparado para um relato de futebol exige, para além de um talento natural intrínseco, uma preparação prévia cuidada que envolve alguns aspetos.

Pontos importantes a observar

Em primeiro lugar, o relatador deverá estudar atempada e pormenorizadamente as equipas que se vão defrontar no jogo. Aqui estão incluídos:

1. O plantel das equipas

É importante estudar todos os jogadores de ambas as equipas, especialmente os jogadores que serão titulares. Dever-se-á dar atenção aos seus nomes, ao seu número na camisola e à sua posição no campo. Sempre que relatam o jogo, os comentadores possuem estas informações devidamente documentadas e mantêm-nas junto a si ao longo da partida. A estas informações é comum juntar outros dados como a altura, idade e nacionalidade.

2. Caraterísticas particulares de cada jogador

Também é necessário dar atenção a determinadas particularidades, isto é, a diversos pormenores que podem fazer a diferença num bom relato. Entre eles estão: os golos marcados por determinado jogador, o seu rendimento desde o início da época e na anterior, clubes por onde passou, prémios, títulos, vitórias conquistadas e a sua posição mediática.

3. Treinadores atuais

É fundamental conhecer bem os treinadores responsáveis por cada equipa. É especialmente importante saber os clubes que já treinaram, o seu passado no mundo do futebol, se eles próprios já foram jogadores, a sua prestação naquela competição e restantes, táticas e estratégias que utiliza com mais frequência.

4. Informações gerais sobre as equipas

Relativamente às equipas, o comentador futebolístico deve estar o mais informado possível. São relevantes questões como: a posição de cada equipa na competição, os títulos adquiridos, o seu estatuto do ponto de vista dos adeptos, um pouco da sua história, os seus atuais dirigentes e qual é a equipa que joga fora ou em casa.

5. Equipa de arbitragem

Normalmente, as equipas de arbitragem são constituídas por 4 árbitros e o comentador desportivo deverá conhecer o nome deles e a respetiva localidade. Devem dar mais atenção ao árbitro principal e possuir informação sobre outros jogos onde ele tenha atuado.

6. Estádio ou local do encontro

É necessário possuir informações referentes ao local onde se está a realizar o jogo e o estádio correspondente, essencialmente o seu nome, história e a que clube pertence.

7. Adeptos

Um bom comentador conhece as principais caraterísticas dos adeptos de cada equipa, isto é, de onde são, a sua satisfação atual ou não com a equipa e o seu comportamento habitual nos jogos.

As caraterísticas de um bom relatador e o respetivo relato futebolístico

A posição do comentador em relação ao campo é primordial. Este deve estar centrado com o campo e a uma altura suficiente que permita percecionar todo o terreno e bancadas à volta. Não poderá, no entanto, cair no erro de se afastar em demasia do campo, pois desta forma será difícil visualizar os jogadores ou o número das suas camisolas.

1. Os antecedentes

Um bom relato de futebol começa sempre antes da partida. Um bom comentador inicia o seu relato num momento em que os jogadores ainda nem estão posicionados em campo. Começa por cumprimentar os radio-ouvintes e transmite o ambiente geral do estádio. É importante transportar para quem ouve a imagem mental do cenário, assim como os sentimentos que nele estão implícitos, tais como a expectativa em relação ao vencedor (a Comunicação Social e as casas de apostas online indicam sempre os favoritos e candidatos à vitória), a ansiedade e efusividade ou, pelo contrário, a aparente tranquilidade dos adeptos. Só depois dá início à apresentação dos onze membros de cada equipa, a sua estratégia e organização dos jogadores no campo.

2. O jogo

No exato momento em que os jogadores se organizam para dar início à partida e o árbitro inicia o jogo, o comentador deve aumentar o seu tom de voz de modo a transmitir a quem ouve o verdadeiro impacto do momento. Durante a partida um comentador deve conciliar clareza de discurso, fluidez, exatidão das palavras e moderação do tom de voz consoante a realidade e momento do jogo. Apenas alguém devidamente dotado de uma boa capacidade de comunicação consegue cumprir, na íntegra, todos estes requisitos.

A observação e concentração devem ser constantes, não só no terreno do jogo, mas também no ambiente das bancadas e, se possível, as reações dos treinadores. Nestes últimos aspetos seria benéfica a existência de um outro comentador e de um ou dois assistentes mais próximos do terreno. A imparcialidade é um critério importante que nunca em caso algum deve ser negligenciado.

3. O momento do golo

É considerado o momento mais esperado pelos adeptos e deverá ser anunciado de uma forma efusiva e explosiva. Poder-se-á integrar pequenos efeitos sonoros e não se deverá negligenciar a forma como o comunicamos. É importante pronunciar a palavra golo de uma forma contínua sustendo a palavra até o máximo que for possível, logo depois anunciar a equipa que marcou, o respetivo jogador e o lance que originou o golo deve ser bem descrito, seguido do novo resultado do marcador.

4. Final e análise sumária do jogo

Com o aproximar do final do jogo poderá ser conveniente subir o tom de voz, em especial no período de compensação ou complementar. Com o apito final do árbitro deverá ser dado um pequeno resumo do jogo onde deverão estar presentes o resultado final, a prestação de cada equipa, os autores dos golos, as variações resultantes na classificação da competição e o atual comportamento dos adeptos.

O relatador futebolístico: um comunicador e ouvinte

Um bom relatador de futebol é, portanto, aquele que sabe comunicar e transmitir de forma exata aquilo que vê e ouve. Neste aspeto, e para quem poderá ambicionar a um cargo desta natureza, poderá ser aconselhado, e mais do que saber falar, saber ouvir.

Torna-se muito importante ouvir, em especial, os relatos de bons relatadores em atividade e mesmo daqueles que já não relatam os jogo mas que, pela sua paixão, tornaram-se grandes nomes do mundo do futebol apenas por saberem transportar na perfeição a imagem de uma partida de futebol e todas as sensações, emoções e valores interligados.

[ad#admin]

Author: LuisEsteves

Apaixonado por jogos de casino e por apostas online, no futebol é adepto de dos melhores clubes de topo, como por exemplo o Benfica, Porto ou Sporting, entre outros colossos europeus.

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *