A importância da linha média numa equipa de futebol

[ad#admin]

No futebol, assim como no xadrez, é importante conquistar o centro do tabuleiro para ter sucesso e derrotar o adversário. Nesta modalidade, a parte central do relvado possui bastante importância na tática do jogo, isto é, a organização estratégica do meio campo possibilita um ataque forte e uma defesa eficaz. A tendência do pensamento no futebol atual é manter as equipas cada vez mais compactas, limitando os espaços para os adversários. Assim, independentemente de ser favorita ou não nas casas de apostas, as equipas devem reforçar a linha intermediária para serem letais à frente e sólidos atrás. Só assim é que é possível orquestrar uma equipa de futebol.

As principais posições do meio-campo

Através de uma visão mais detalhada da linha intermediária de uma equipa de futebol, podemos caracterizar 3 posições médias distintas:

1. Médio defensivo ou trinco

No meio-campo há jogadores que desempenham funções táticas voltadas para o desarmar das jogadas do adversário, rompendo, portanto, a ligação do meio campo com o respetivo ataque. Estes jogadores possuem uma aparência forte em termos físicos e, normalmente, são mais pesados e corpulentos que os demais.

2. Médio criativo ou organizador de jogo

Existem, também, jogadores leves e rápidos que são responsáveis pela armação das jogadas de ataque. Normalmente, estes são os “craques” ou os jogadores mais conhecidos das equipas. Têm como características a velocidade, a inteligência de optar pela melhor jogada e atendem pela sugestiva alcunha de organizadores de jogo.

3. Médio ala ou lateral ofensivo

Estes jogadores ocupam as laterais do relvado a partir do meio-campo e têm o objetivo de ligar a defesa ao ataque. Também são conhecidos como laterais ofensivos.

O desempenho dos jogadores do meio-campo

Os médios possuem a função de completar a transição defesa-ataque, atacam com critério e qualidade sem nunca descurarem a solidez defensiva. Dessa forma, o meio-campo é considerado a espinha dorsal de cada equipa (os adeptos apostam sempre nas equipas que têm um meio-campo forte) e a sua ação é determinante para que o grupo vença os seus jogos.

Cada adversário é diferente, logo, dependendo do objetivo técnico do jogo – mais ofensivo ou mais defensivo – o meio-campo é sempre preparado de maneira diferente.

Pode-se jogar de forma equilibrada, com dois trincos e dois médios criativos, como é bastante comum, porém, de acordo com a estratégia do treinador, também é possível utilizar três trincos e um médio criativo. Posicionados na região mais disputada de um jogo de futebol, os médios precisam de ser fortes e com disposição de jogo sempre em alta. O meio-campo, além de ter ajustado os movimentos entre si, deve manter harmonia com a defesa e articular bem o ataque.

Uma equipa que carece de bons trincos irá permitir ataques constantes, comprometendo todo o sistema defensivo, bem como a ligação entre os médios criativos. Dentro da mesma linha de pensamento, uma equipa que possuir trincos fracos poderá elaborar ataques ineficazes, além de dificultar a retenção da bola no seu ataque, deixando que o rival tenha mais posse de bola e ameace ainda mais os trincos.

O equilíbrio de uma equipa de futebol passa pela formação apropriada do meio campo. Ter médios eficientes, fisicamente preparados e familiarizados com o estilo de jogo de cada um é fundamental para que a equipa adquira uma estrutura compacta e eficaz em campo.

[ad#admin]

Author: LuisEsteves

Apaixonado por jogos de casino e por apostas online, no futebol é adepto de dos melhores clubes de topo, como por exemplo o Benfica, Porto ou Sporting, entre outros colossos europeus.

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *