Primeiras rugas

[ad#admin]

Hoje acordei bem cedinho

E com muito carinho

Fiquei a te olhar.

Fitando o teu rosto tão lindo,

Ainda dormindo

Te ouvi ressonar.

Contemplando tua beleza

Notei com surpresa

Quando clareou:

O sol realçou tua face

E neste realce

Ele me mostrou.

As primeiras rugas que o tempo te deu

Porém, reconheço, a causa sou eu.

Foram tantos anos de dedicação.

Tal qual aroeira sustentas guerreira

A nossa união.

Te juro, no cotidiano,

Passaram-se os anos,

Mas não reparei.

As rugas que agora contemplo

São obras do tempo

Que eu desenhei.

Suaves linhas elegantes

Que no teu semblante

Fico a examinar.

Só pude notá-las dormindo,

Então já vou indo

E nem vou te acordar.

Mas no fim do dia, quando eu regressar,

Não vou poder vê-las, como te contar?

Vou guardar segredo, pois pensando bem…

Tenho consciência, na minha aparência

Há várias também.

As primeiras rugas que o tempo nos deu

É um prêmio que chega, é benção de Deus.

Qualquer dia desses revelo acanhado:

Meu maior querer é um dia morrer

Velhinho ao teu lado.

[ad#admin]

Author: Roberto Oliveira Hermesdorff

Share This Post On

Trackbacks/Pingbacks

  1. Drama Obscuro | Tema Livre - [...] há vida, vida e [...]

Comentários

O seu endereço de email não será publicado.