GcMAF: Uma nova terapia na guerra contra o câncer?

Estima-se que o corpo humano produza de cinco a onze mil células cancerígenas por dia, entretanto, isso não representa problema algum se seu sistema imune estiver funcionando corretamente, pois estas células cancerígenas serão facilmente identificadas e eliminadas pelos macrófagos.

Os macrófagos (do grego “grandes comedores”) são glóbulos brancos que literalmente engolem e digerem restos celulares, substâncias estranhas, bactérias, células cancerígenas e qualquer outra coisa que não tenha as características “certas” para que seja identificada como uma célula saudável pertencente ao corpo. Os macrófagos são como o “Pac-Man” do sistema imune.

O problema é que os macrófagos dependem de outra substância para agirem, o GcMAF. O GcMAF é um granulócito ativador de macrófago (em inglês Gc protein-derived macrophage-activating factor), ele funciona como um botão de start dos macrófagos.

Quando o GcMAF está diminuído no organismo, os macrófagos não recebem a ordem para fazer a limpeza do sistema, ou seja, o sistema imune não funciona corretamente, deixando o organismo suscetível ao crescimento descontrolado de células defeituosas, vírus, bactérias e outros agentes potencialmente perigosos à saúde.

O câncer “desativa” o sistema imunológico

Ao passo que o sistema imune está procurando células cancerígenas, bactérias e vírus para que sejam destruídos, estes por sua vez não desejam morrer. Tanto células cancerosas quanto os vírus e bactérias, produzem uma enzima chamada Alpha-N-acetylgalactosaminidase ou Nagalase. A Nagale inibe a produção natural de GcMAF no organismo, e como foi dito, sem o GcMAF os macrófagos não funcionam, ficam apenas no modo de espera.

GcMAF Nova terapia contra o cancer

Quando os macrófagos são desativados pela ação da Nagalase, o mecanismo de sinalização celular (que indica quais células precisam ser eliminadas) também é simultaneamente desativado, fazendo com que outras células do sistema imune como os linfócitos B e os linfócitos T também não atuem. Desta forma, a atividade imunológica antineoplásica (anticâncer) e antimicrobiana é efetivamente desativada.

Exame para detectar a nagalase no sangue

É possível fazer um exame para verificar os níveis da enzima nagalase no sangue. Quando estes estão altos, isso é um indicativo que o sistema imune está sendo suprimido, seja por uma atividade viral ou pela atividade de células de câncer.

Pesquisadores e médicos que entendem deste assunto, avaliam a gravidade dos tumores em seus pacientes medindo os níveis da enzima nagalase no sangue.

Já a dra. Leigh Erin Connealy utiliza o exame de Nagalase para verificar se o tratamento do câncer está progredindo como o esperado. Segundo ela, quando o tratamento contra o câncer está sendo eficaz, os níveis de Nagalase no sangue caem para menor que 1. Para a Dra. Connealy, os níveis ótimos de Nagalase no sangue ficam entre 0,3 e 0,9 nmol/min/mg.

A imunoterapia com GcMAF bioidêntico

A boa notícia é que a Nagalase inibe somente a produção natural de GcMAF no organismo, mas não pode parar um ataque do sistema imune que já foi iniciado. Felizmente, esta enzima também não pode minimizar os efeitos do GcMAF já produzidos ou impedir que as células cancerígenas já detectadas sejam destruídas.

A Nagalase inibe a síntese (produção no organismo) do GcMAF, mas não consegue inibir o GcMAF bioidêntico que é injetado no corpo ou administrado por via intravenosa.

GcMAF possui potentes propriedades antitumorais

A administração de GcMAF em indivíduos com câncer em estudos clínicos exibiu um sucesso notável. Os estudos relatam melhorias, incluindo:

Redução nos receptores de tumores conhecidos por espalhar o câncer;
Prevenção do crescimento dos vasos sanguíneos necessários para o crescimento de tumores;

A capacidade de inibir o crescimento de células cancerígenas;
Melhor resposta imunológica dos macrófagos ativados, disponibilidade de linfócitos e aumento do número de glóbulos vermelhos e plaquetas.

Pacientes que disseram ter câncer e doenças “incuráveis” receberam GcMAF como uma injeção semanal. Mesmo em um estágio tardio da doença, a imunoterapia anticâncer foi considerada eficaz. Os tumores diminuíram de tamanho, a atividade da nagalase diminuiu e, em alguns casos, o câncer foi completamente erradicado após apenas seis meses de tratamento.

A Administração de GcMAF em pacientes com câncer com níveis elevados da enzima nagalase, tem mostrado diminuir a atividade enzimática, juntamente com benefícios clínicos significativos em um grupo misto de pacientes com diferentes tipos de câncer, geralmente considerados incuráveis.

Na maioria dos casos, a terapia com GcMAF foi iniciada nos estágios finais da progressão do tumor. A natureza deste estudo significa que uma relação de causa e efeito entre a administração de GcMAF e o resultado da doença não pode ser estabelecida. No entanto, algumas tendências claras surgiram. Todos os 20 pacientes tinham uma atividade da nagalase maior que o normal. Todos os pacientes, exceto um, mostraram uma redução significativa na atividade da nagalase em resposta às injeções semanais de GcMAF.

Níveis mais baixos de atividade da nagalase foram associados a melhores condições clínicas. Importante, nenhum efeito colateral adverso foi relatado. Estes resultados sugerem que vale a pena investigar se o GcMAF é uma imunoterapia anticâncer potencialmente eficaz.

Uma ampla variedade de tipos de câncer foi tratada com GcMAF em pesquisas clínicas, conforme relatado pelo Dr. Steve Hofman. Esses tipos de câncer incluem:

Cânceres relacionados com o pescoço e a cabeça;
Câncer de bexiga;
Câncer colorretal;
Câncer de ovário;
Linfoma folicular.

Macrófagos Ativados por GcMAF Destroem células tumorais

Até 50% dos monócitos (um tipo de glóbulo branco) e macrófagos estão concentrados no baço. Observa-se que o fluxo sanguíneo aumenta para o baço, e que fatores notáveis ​​de estímulo do sistema imunológico são observados após o tratamento com GcMAF.

A proliferação de outras células cancerígenas não é apenas inibida, mas os macrófagos inundam os tumores presentes e iniciam um processo de fagocitose ativa (comem o tumor), esse processo é ativado pelo GcMAF na presença de tumores. Em outras palavras, os macrófagos ativados só existem na companhia do câncer. Além disso, os macrófagos ativados por GcMAF apresentaram um aumento da morte celular programada de células cancerígenas (apoptose). Este processo biológico deixa para trás somente restos de células mortas.

Uma análise in vitro do tratamento com GcMAF mostrou que as células cancerígenas são completamente erradicadas após somente sete dias. Uma pesquisa clínica é necessária para estabelecer ainda mais as habilidades naturais do corpo de usar o GcMAF, para prevenir e curar o câncer. No entanto, existem evidências indicando que o tratamento de imunoterapia com GcMAF pode sim, ser eficaz.

O colostro e o GcMAF

O colostro é uma forma de leite de baixo volume secretado pela maioria dos mamíferos nos primeiros dias de amamentação pós-parto (incluindo seres humanos), que contém altos níveis de imunoglobulinas projetadas para ajudar a construir o sistema imunológico do recém-nascido. Tipos específicos de derivados de colostro bovino têm demonstrado serem ativadores de GcMAF. Estudos demonstraram que o colostro ativou GcMAF em indivíduos com infecções graves e fadiga.

O colostro de alta qualidade é obtido a partir de vacas ou cabras alimentadas com capim, e vem em forma de cápsula ou em pó. Ele contém pequenas quantidades de proteínas lácteas, como a caseína e o soro de leite, mas devido à matriz de imunoglobulina é mais bem tolerado por pessoas que são sensíveis a produtos lácteos.

É melhor consumir o colostro longe das refeições para permitir uma passagem mais rápida através do estômago até o intestino. As cápsulas podem ser uma abordagem mais fácil, mas o mais eficaz pode ser espalhar o colostro em pó em sua boca. Na boca e na garganta existe um tecido linfóide imunológico específico que é tipicamente rico em macrófagos. Você pode misturar o colostro em pó com água, colocá-lo na boca e deixar por 15 a 20 minutos para ajudar a ativar esses macrófagos e absorver as imunoglobulinas sublingualmente.

Após 15-20 minutos, engula a mistura. Esta é uma das formas mais eficazes de aumentar a atividade de macrófagos e é um método recomendado para indivíduos que sofrem de síndromes de deficiência de imunoglobulinas.

O Iogurte Bravo e o GcMAF

Um tipo especial de iogurte que agora está sendo comercializado por seus benefícios na ativação do GcMAF. Este iogurte é chamado de iogurte super probiótico Bravo e não está disponível em supermercados, por isso deve ser encomendado online e preparado em casa.

O Dr. John Gray disse o seguinte sobre o Bravo Yogurt em seu site: “O iogurte Bravo provou produzir GcMAF de uma maneira completamente natural. Este kit do iogurte probiótico Bravo, contém 42 probióticos essenciais para restaurar a função e a digestão saudáveis ​​do intestino. Essas 42 cepas de bactérias probióticas provaram produzir a proteína essencial GcMAF ”.

A recomendação diária típica é a seguinte: Tome meia xícara do iogurte Bravo de manhã ou no final de uma refeição rica em fibras. Depois de consumir o iogurte, não coma ou beba nada durante uma hora para se certificar de que os probióticos e as imunoglobulinas escapem do aumento da atividade digestiva e sejam capazes de entrar no sistema.

A cada colherada, recomenda-se fazer um bochecho de 30 a 60 segundos e depois gargarejar antes de engolir. Isso ajuda a obter os compostos de imunoglobulina no tecido linfóide na boca e na garganta.

O papel da Vitamina D3 na produção de GcMAF

A vitamina D3 (colecalciferol) tem responsabilidades essenciais no corpo humano e ajuda a defender o sistema imunológico de doenças crônicas. Sendo a vitamina D3 lipossolúvel e o sangue hidrossolúvel, se faz necessária a presença de um transportador da vitamina D3 para os diversos sistemas no organismo, esse transportador chama-se GcProtein (Vitamin D3 Binding Globulin).

Curiosamente, o GcProtein é precursor do GcMAF, desta forma, quanto maior os níveis de vitamina D3 no sangue, maior será a produção de GcProtein para que esta seja transportada, o que implica em uma maior disponibilidade de precursores para a produção de GcMAF.

Recomendações de estilo de vida para reduzir o risco de câncer

Há coisas específicas que você pode fazer para apoiar as habilidades naturais do seu corpo de aumentar a produção de GcMAF e otimizar sua saúde. Construa um sistema imunológico forte usando as seguintes recomendações como orientação:

1. Limite seu consumo de açúcar. Os médicos estão cada vez mais conscientes das ameaças à saúde que o açúcar promove. Não só você deve evitar açúcares simples, como os doces, mas também açúcares complexos que são quebrados a partir de amidos e grãos. Ambos os tipos de açúcares alimentam as células de câncer e precisam ser limitados em sua dieta (e, de preferência, eliminados);

2. Receber quantidades adequadas de vitamina D3 diariamente é necessário para uma saúde ótima. Uma das principais causas de complicações autoimunes é a deficiência de vitamina D3 e pode levar a uma variedade de preocupações, como autismo e câncer;

3. Evite o leite/suco de soja, eles podem limitar a absorção de minerais;

4. Elimine todas as formas de trigo de sua dieta, junto com agentes causadores de câncer, como as lectinas [Nota do editor: existe uma grande discussão se realmente é benéfica a remoção total do trigo/glúten da dieta ou não, faça sua própria pesquisa e tome uma decisão];

5. Carragenina é um aditivo encontrado em uma variedade de alimentos que deve ser evitado a todo custo. A carragenina é usada como um agente espessante e também foi mostrado que ela bloqueia a atividade do GcMAF. Você pode achar útil pensar nos efeitos da carragenina como similares à enzima nagalase que, em última análise, é responsável pelo enfraquecimento das defesas imunológicas;

6. Evite a todo custo a necessidade de fazer um tratamento de canal e, quando possível, opte pela extração dentária. O tratamento de canal dentário está associados à destruição do sistema imunológico;

7. Evite qualquer substância que suprima o sistema imunológico, incluindo cortisona, esteróides e medicamentos antiinflamatórios. Este conselho é de um plano de tratamento específico oferecido pelo Immunocentre da Europa* para estimular naturalmente a produção de GcMAF. Seu protocolo de tratamento também recomenda evitar a radioterapia e todos os medicamentos experimentais que possam causar efeitos adversos à saúde e reações desconhecidas. [* Nota do editor: o Immunocentre foi fechado pela Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA) na Grã-Bretanha, isso aconteceu, depois de que este artigo havia sido escrito];

8. Remova todos os adoçantes artificiais da sua dieta. Substitutos do açúcar, como o aspartame, suprimem o sistema imunológico. Se tiver mesmo que consumir algum, opte por adoçantes à base de plantas, como Stevia ou Xylitol feitos de madeira dura (não de milho);

9. Reduza seu estresse. As pessoas que foram diagnosticadas com câncer ou com uma doença crônica podem se lembrar de uma ocorrência recente que mudou suas vidas e que resultou em um grave choque em seus corpos. Reduzir os níveis de estresse é absolutamente necessário para construir uma forte defesa imunológica. O estresse tem a capacidade de fazer furos na blindagem de titânio do seu sistema imune, e consequentemente, permite que a doença tenha chance de se firmar;

10. Se possível, tenha uma dieta de vegetais orgânicos e carne de gado alimentado com capim (ao invés de ração) e peixes selvagens, isso ajudará a manter altos os níveis de GcMAF no organismo e otimizam a ingestão de nutrientes. Dietas sem aminoácidos essenciais e oligoelementos são resultado de má nutrição e podem levar à degradação de sua saúde e reduzir a concentração de GcMAF.

11. Mexa seu corpo. A falta de oxigênio e exercícios são dois dos fatores mais importantes associados ao desenvolvimento do câncer. A circulação de oxigênio e exercício faz mais do que beneficiar uma figura saudável. As células dependem de um suprimento constante de oxigênio para funcionar adequadamente.

Exercício otimiza a saúde, promovendo fatores que reduzem o risco de câncer. Por exemplo, o exercício limita o fluxo de cortisol através do seu corpo, o que causa estresse e ansiedade. Especificamente, os níveis aumentados de cortisol nos homens estão associados a um declínio nos níveis de testosterona e são um fator de risco para complicações cardíacas;

12. Evitar contaminantes ambientais é recomendado para reduzir a toxicidade do sistema imunológico. Elimine todos os hábitos tóxicos, como fumar, que levam a mutações carcinogênicas e aumentam o risco de doenças crônicas.

Referências:
1.http://www.telomero.com.br/secao/publicacoes/entendendo-o-cancer/958/entendendo-o-cancer-parte-iii;
2.https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3812199/;
3.https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23857228;
4.https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20976141;
5.https://gcmaf.se/how-gcmaf-works/;
6.https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC534451/;
7.https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26168499;
8.https://gcmaf.se/;
9.https://www.marsvenus.com/p/gcmaf-bravo-probiotic-yogurt;
10.http://www.medicinacomplementar.com.br/biblioteca/pdfs/Cancer/ca-2708.pdf.

FONTE: sauderevista.com/gcmaf-uma-nova-terapia-na-guerra-contra-o-cancer/

Author: admin

Administrador do "Tema-Livre"

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*