Como preparar uma equipa que está impedida de usar o seu treinador

Neste artigo pretendemos definir algumas condições a observar tendo em conta a necessidade tantas vezes sentida por um clube de futebol quando tem de fazer substituir o treinador principal por um adjunto, em caso de impedimento por castigo ou outro qualquer motivo. É claro que não deve ser só o técnico-adjunto a assumir o papel de treinador principal. Devem pôr-se em prática uma série de procedimentos, mesmo durante a semana que precede o jogo e que deve envolver todo o grupo de trabalho. Assim, apontamos de seguida 6 aspetos que podem ajudar a preparar uma equipa que está impedida de usar o seu treinador.

  1. Preparar o adjunto, de forma a prever reações em campo às possíveis variáveis e incidências do jogo; ou seja, o técnico principal e o treinador adjunto devem estabelecer princípios fundamentais de reação às principais incidências do jogo, como um golo do adversário, a expulsão de um jogador da própria equipa ou do adversário, uma lesão inesperada, readaptação ao esquema tático do adversário, entre outros aspetos capitais. É preciso, portanto, que os dois comunguem dos mesmos princípios básicos de reação a acontecimentos possíveis no jogo. Por outro lado, é sempre possível preparar alguma forma de contacto com o treinador durante o jogo, nem que seja pela simples linguagem gestual.
  1. Durante a semana, preparar a equipa para que o capitão possa ser uma voz de comando, transmitindo ordem de acordo com as posições habituais do técnico. Aliás, esta preparação dos capitães de equipa deve ser também um esforço permanente nos treinos, para que eles estejam sempre em condições de dirigir a equipa em situações pontuais.
  1. Preparar psicologicamente a equipa para que o fator negativo se transforme em vantagem: independentemente do favoritismo atribuído pela comunicação social e principais casas de apostas, é possível fazer com que a equipa jogue com mais confiança sentindo-se menos pressionada pela presença do técnico. Uma equipa de futebol nunca deve sentir-se psicologicamente dependente da presença do treinador. Pelo contrário, é possível trabalhar a mente dos jogadores no sentido de tirarem partido de uma certa desinibição que pode surgir com a ausência do técnico do banco de suplentes.
  1. Selecionar cuidadosamente os jogadores a fazer alinhar no jogo mas planeando com o técnico as possíveis substituições ao longo do jogo. Como sempre, os 11 atletas selecionados para a equipa inicial devem ser escolhidos pela equipa técnica e não penas pelo treinador principal. Mas é também possível e aconselhável que as substituições sejam preparadas e previstas antes do jogo por toda a equipa técnica.
  1. Antes do jogo, e mesmo durante a semana precedente, devem selecionar-se as pessoas que substituirão o técnico no contacto com a comunicação social, aprimorando reações de comum acordo, para que não haja contradição de ideias. Essa preparação deve abranger também a direção do clube, principalmente o delegado ao jogo.
  1. Durante a semana devem ser os adjuntos a tomar um papel cada vez mais ativo na direção dos treinos para que a diferença seja menos notada no dia do jogo; aliás, a longo prazo deve estar preparada esta situação, uma vez que essa responsabilização e preparação dos adjuntos deve ser um objetivo continuado da equipa técnica. Por outras palavras, os adjuntos devem estar sempre prontos para substituir o técnico principal.

Author: LuisEsteves

Apaixonado por jogos de casino e por apostas online, no futebol é adepto de dos melhores clubes de topo, como por exemplo o Benfica, Porto ou Sporting, entre outros colossos europeus.

Share This Post On

Trackbacks/Pingbacks

  1. Como fazer um bom jogo de estreia numa equipa de futebol | Tema Livre - […] o apoio dos colegas, especialmente dos chamados “líderes de balneário”, como os capitães de equipa porque serão eles os…

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*