Alerta sobre a dengue

[ad#sergiogleiston]

A dengue é uma virose responsável por cerca de cem milhões de casos por ano no planeta, atingindo, principalmente, regiões tropicais e subtropicais, como sul do Pacífico, Ásia, África e Américas e percorrendo mais de cem países. A Organização Mundial de Saúde estima que anualmente vinte milhões de pessoas morrem vítimas dessa infecção no mundo.

O vírus causador da dengue apresenta quatro variações (DEN – 1, DEN – 2, DEN – 3 e DEN – 4) o que torna difícil a criação de uma vacina específica. Embora, a pessoa infectada por um dos tipos fique imune aquele, acontece que pode ser acometido por qualquer um dos três novamente, sendo que a tendência é agravar o quadro clínico a cada nova infecção.

A forma de transmissão mais comum é através da picada de mosquitos do gênero Aedes, sendo o principal deles o Aedes aegypti, oriundo da África, mas atualmente distribuído por toda a zona tropical e subtropical do globo. Ele possui, em média, meio centímetro, é preto e com manchas brancas nas patas. A fêmea pode colocar cerca de quatro centenas e meia de ovos durante os quarenta e cinco dias de vida e é capaz de infectar umas trezentas pessoas nesse período. Alimenta-se, em geral, pela manhã ou ao fim da tarde, podendo voar entre cinqüenta e cem metros de distância do local de nascimento. Seus ovos são depositados em reservatórios de água limpa e são capazes de sobreviver mais de um ano sem contato com água e eclodirem rapidamente: o ciclo de maturação dura em torno de uma semana.

alerta dengue

Acontece que o mosquito está se adaptando rapidamente a novos ambientes. Descobriu-se casos em que as larvas se desenvolveram em esgotos, algo bastante problemático se pensarmos que mais de dois milhões e meio de pessoas no mundo não têm saneamento básico. Percebeu-se também que os mosquitos estão criando resistência a alguns inseticidas, o que é ruim para o combate. Além do mais, sabe-se que, originalmente, tratava-se de uma espécie silvestre, porém, com o desmatamento e o avanço das cidades por áreas rurais contribuiu para sua mudança de habitat.

Embora nem todos os mosquitos Aedes aegypti transmitam a dengue (apenas os infectados pelo vírus), descobriu-se que a fêmea pode transmitir diretamente o vírus aos filhotes ainda no óvulo, o que significa que eles podem já nascerem  como vetores da doença.

Outro agravante: temperaturas mais quentes é favorável à reprodução dos mosquitos e como a média da temperatura do planeta está subindo, temos a possibilidade de novos grandes surtos.

Sem dúvida, o fator que mais favorece a multiplicação dos focos de dengue é o acúmulo de água parada nas residências. Imagine o seguinte: no Brasil se produzem cerca de vinte bilhões de garrafas pet por ano; quase novecentas toneladas de embalagens de vidro; e são descartados uns quarenta bilhões de pneus velhos anualmente, menos de dez por cento do lixo produzido é reciclado e parte significativa é lançada em aterros a céu aberto. Tudo isso pode ser criadouro do mosquito da dengue. Devemos incluir a grande quantidade de terrenos baldios: só em São Paulo fala-se em um numero de noventa e três milhões de quilômetros quadrados de terrenos abandonados, ou seja, são focos em potencial.

O que posso dizer é que se todos não fizerem sua parte, um simples mosquito pode derrubar a humanidade. Fica aqui o alerta.

[ad#sergiogleiston]

Author: SergioGleiston

Share This Post On

Trackbacks/Pingbacks

  1. Tema-Livre da os parabens ao Colaborador Sergio Gleiston (vencedor do nosso 1º incentivo) | Tema Livre - [...] - “”Alerta sobre a dengue” [...]

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Inscreva-se GRATUITAMENTE no Congresso

colocando seu NOME e EMAIL Abaixo e clicando no botão "Quero Reservar a Minha Vaga":






Sucesso! Verifique seu email.